Conecte-se Conosco

Rosa Neide e educadores se reúnem com secretário de estado de Educação e defendem a formação continuada realizada pelos Cefapros

Publicado

em

Seduc-MT pretende desestruturar os Centros de Formação Continuada, as Assessorias Pedagógicas e a Educação de Jovens e Adultos

A deputada federal Professora Rosa Neide (PT), membro da Comissão de Educação da Câmara, acompanhada do presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT), deputado Valdir Barranco (PT) se reuniu em audiência com o secretário de estado de Educação, Alan Porto para discutir a reorganização proposta pela pasta, para os Centros de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação (Cefapros), Centros de Educação de Jovens e Adultos (Cejas) e Assessorias Pedagógicas.

A audiência foi requerida pelos deputados para que o secretário dialogasse com os professores formadores dos Cefapros, que de acordo com a proposta da Seduc-MT perderão sua função e terão de retornar às Escolas, para que a Secretaria terceirize à iniciativa privada à formação continuada dos mais de 40 mil educadores da rede estadual de educação.

Professora Rosa Neide destacou que os Cefapros possuem 23 anos e que “trata-se de uma estrutura reconhecida em todo o País por possuir profissionais de excelência”. Atualmente o Estado conta com 15 Cefapros com cerca de 200 professores formadores que ofertam diariamente formação continuada aos educadores das 756 escolas estaduais.

“São profissionais com mestrado e doutorado que mesmo nesse período de pandemia da Covid-19 estiveram nas escolas promovendo a formação continuada dos professores e dos profissionais das escolas. São eles que constroem o processo formativo em conjunto com os educadores, a partir das necessidades formativas dos profissionais de cada escola. Esse importante trabalho é feito dentro do esforço diário de se aliar o conhecimento teórico com a prática pedagógica, visando a melhoria da qualidade da educação em nosso Estado”, afirmou.

A deputada pediu que o secretário reveja sua proposta de desidratação dos Cefapros com a dispensa dos formadores e manutenção apenas dos diretores e secretários. “O Cefapro sem formador não é Cefapro”, criticou.

A professora formadora, Cláudia Brandão, do Cefapro de Primavera do Leste questionou a proposta da Plataforma Integrada de Formação que a Seduc quer adquirir da iniciativa privada para substituir o trabalho dos formadores que são profissionais efetivos da educação do Estado. “Como professora quero construir a formação continuada com outro professor e professora e não com empresas privadas que possuem conteúdos prontos e não conhecem a realidade educacional de cada escola de Mato Grosso”, afirmou.

O assessor pedagógico de Cuiabá, Maurílio Lopes, criticou a proposta da Seduc-MT de subordinar os assessores à estrutura do que sobrará dos Cefapros. “As assessorias fazem o trabalho administrativo e pedagógico, também de relacionamento da rede estadual com as redes municipais de ensino e os Centros fazem a formação dos profissionais. Não podemos ficar subordinadoS a uma estrutura que não tem a nossa finalidade”, disse.

Presente na reunião, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público do Estado (Sintep-MT), Valdeir Pereira afirmou que Educação se faz com recursos e profissionais e não com cortes como a Seduc-MT está fazendo.

O deputado Valdir Barranco pediu ao secretário que suspenda as mudanças tanto dos cortes no Cefapro, quanto na perda de autonomia das Assessorias Pedagógicas, bem como nos Cejas, que segundo a proposta do Estado serão fechados com redistribuição dos alunos, jovens e adultos, para outras escolas da rede.

“Em meio à maior crise de saúde dos últimos 100 anos não é momento de fazer mudanças que impactarão a vida de milhares de estudantes e educadores. Ainda mais assim, no atropelo e sem diálogo com a comunidade escolar e com os profissionais que serão atingidos. Nós estamos aqui para ajudar a Seduc-MT, para que ela acerte para o bem da educação. Por isso pedimos prudência e que as possíveis mudanças sejam dialogadas com educadores, alunos e pais no próximo ano”, defendeu.

Ao final, o secretário Alan Porto não recuou das mudanças, mas se comprometeu em seguir dialogando com os professores formadores para segundo ele, construírem um intensivão formativo a partir do dia primeiro de fevereiro, para atender às escolas cujos alunos estejam com mais dificuldade de aprendizagem.

Professora Rosa Neide ainda tentou sem sucesso demover o secretário de seguir com a proposta de já no retorno do ano letivo de 2021 retirar os professores formadores dos Cefapros e devolverem-nos às escolas. “Não desperdice profissionais com excelência formativa como os Centros possuem”, argumentou.

O encontro contou com a presença de educadores de Diamantino, Primavera do Leste, Tangará da Serra, Matupá, Cuiabá, Sinop, Juara, Cuiabá e Várzea Grande, além dos deputados estaduais Lúdio Cabral (PT), Allan Kardec (PDT) e representantes da deputada Janaina Riva (MDB) e do senador Wellington Fagundes (PL).

“Faremos mais reuniões com o secretário e seguiremos firmes na luta pela manutenção dos Cefapros, dos Cejas e das Assessorias, que precisam de ajustes, mas jamais poderemos permitir que sejam desestruturados visando seu fechamento. Educação Pública tem que ser feita com profissionais públicos. Recursos públicos tem que ser investidos 100% na escola pública”, disse Rosa Neide aos profissionais que seguem em luta.

Volney Albano

Assessoria de Imprensa

Deputada Federal Professora Rosa Neide (PT-MT)

 

 

 

 

Tags:
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Vamos conversar?