fbpx
Conecte-se Conosco

ENEM 2020 tem abstenção recorde – Rosa Neide critica realização do exame em meio a alta de casos da Covid-19

Publicado

em

Foto: Rogério Florentino

A deputada federal Professora Rosa Neide (PT) lamentou a realização da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), no último domingo (17), em meio aos aumentos no número de casos de Covid-19. O resultado da insistência do Ministério da Educação (MEC) em manter a prova neste mês de janeiro foi o aumento recorde da abstenção. Cerca de 51,5% dos inscritos não compareceram aos locais de prova.

“Essa é maior ausência desde que iniciamos a realização do ENEM. Como ficará o atendimento a esses estudantes que faltaram à prova? Lutamos até o fim, inclusive na Justiça para que o Exame fosse adiado, mas o governo insistiu em manter a prova em meio ao aumento dos contaminados pela Covid-19 e o resultado foi essa abstenção sem precedentes já no primeiro final de semana da prova”, afirmou Rosa Neide.

A deputada também criticou a fala do ministro da Educação, Milton Ribeiro, que disse no domingo (17), que a realização do Exame 2020, em meio a pandemia foi “algo vitorioso”. Vitória pra quem? Os estudantes que faltaram ao exame para se protegerem da pandemia, com certeza não saem vencedores, pois não poderão acessar às Universidades Públicas. A maioria dos estudantes mais humildades não tiveram acesso aos estudos durante à pandemia, pois as aulas foram suspensas. Para esses alunos também não há vitória”, criticou.

Embora seja preliminar, o número já indica o maior percentual de abstenção em toda a história do Enem. O maior índice havia sido registrado em 2009, com 37,7%. Em 2019, o índice do primeiro dia ficou próximo a 23%.

O estado do Amazonas e duas cidades de Rondônia suspenderam a prova devido à pandemia. O índice de abstenção já exclui os dados de participantes destes locais.

Ministro culpa a Mídia

Para o ministro da Educação, o alto índice de abstenção ocorreu “em parte pela dureza e questão do medo da contaminação”, mas também devido a “um trabalho de mídia contrário ao Enem muito grande, isso é fato.”

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) apresentaram um balanço do primeiro dia de provas do Enem 2020 em uma entrevista coletiva à imprensa realizada em Brasília na noite do domingo (17).

O Exame Nacional do Ensino Médio teve 5,78 milhões de candidatos inscritos. Destes, 5,6 milhões eram esperados para a prova impressa; e 96 mil farão o exame digital em outras datas (31 de janeiro e 7 de fevereiro).

Números do Enem 2020

 Enem suspenso: 58 cidades terão reaplicação da prova: 56 no Amazonas e duas em Rondônia.

Doenças infectocontagiosas: Nesta edição, 10.171 pessoas pediram para participar da reaplicação por terem sintomas de doenças infectocontagiosas. Foram aceitas 8.180 e negadas 1.991.

Cidades, locais, salas: o 1º domingo de Enem teve 1.689 municípios, 14.447 locais de prova e 201.380 salas de aplicação.

Inscritos no 1º dia: 5.523.029 inscritos (o número exclui participante do AM e de duas cidades de RO que suspenderam as provas).

Presentes no 1º dia: 2.680.697 (48,5%).

Ausentes/abstenção: 2.842.332 (51,5%).

Eliminados: 2.967 participantes foram eliminados por portar equipamentos eletrônicos, saírem da sala antes do horário permitido, entre outros.

Logística: 69 foram afastados por “ocorrências logísticas”, como emergências médicas ou interrupção de energia elétrica.

Falta de luz: Três escolas em São Sebastião do Passe tiveram problemas de fornecimento na energia elétrica e os candidatos terão reaplicação. Menos de 1 mil candidatos estavam inscritos. (Com G1)

Volney Albano

Assessoria de Imprensa

Deputada Federal Professora Rosa Neide (PT-MT)

 

Tags:
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Vamos conversar?