Conecte-se Conosco

Bancada do PT na Câmara debate os retrocessos da política ambiental de Bolsonaro

Publicado

em

Evento também discutiu a urgência de implementação de políticas legislativas de proteção ambiental e desenvolvimento sustentável

A deputada federal Professora Rosa Neide (PT) participou nesta quinta-feira (20) de reunião temática da bancada do PT que debateu políticas de meio ambiente e o governo Bolsonaro. O evento coordenado pelo deputado Nilto Tatto (PT-SP) contou com participação do secretário-executivo do Observatório do Clima, Marcio Astrini, do professor Francisco de Assis, da ambientalista, Raimunda Monteiro, de parlamentares e do ex-ministro, Fernando Haddad.

Marcio Astrini destacou que o atual governo federal possui uma agenda política anti-ambiental. “A política que está sendo praticada pelo governo é de destruição ambiental, de revogação de marcos legais e infralegais de proteção ambiental, visando promover a devastação, principalmente da floresta amazônica”, disse. Ele citou que para 2020, os índices de desmatamento na Amazônia devem ficar na casa dos 35%, semelhante aos 34% de 2019. “São índices alarmantes jamais vistos em nosso país”, disse.

Professora Rosa Neide corroborou a fala de Astrini ao citar o exemplo de Mato Grosso. “No meu Estado a floresta e os demais biomas que ainda estão de pé em grande maioria são reservas indígenas, mas que vem sendo atacadas com retiradas ilegais de madeira. Esse avanço para dentro das terras indígenas vem sendo incentivado pela conivência do governo federal, com desmonte proposital de órgãos de proteção ambiental como o Ibama”, afirmou.

A parlamentar destacou ainda que o PT, a esquerda e os defensores do desenvolvimento sustentável precisam dialogar com a sociedade sobre as consequências danosas para a vida humana no planeta, caso a marcha da destruição ambiental continue.

O ex-ministro Fernando Haddad afirmou que a pauta do desenvolvimento sustentável, da implementação de um novo conceito de economia, da economia ecológica, está em debate em todo mundo, menos no Brasil devido aos retrocessos impostos pelo atual governo.

Segundo Haddad, o debate do meio ambiente deve casar agenda social com agenda ambiental. “Defender o meio ambiente promovendo desenvolvimento econômico com respeito à natureza está vinculado ao combate as desigualdades. Se o mundo não for sustentável quem mais perde são os mais pobres”.

“O debate sobre transição ecológica deve aliar a agenda do desenvolvimento sustentável urbano com o desenvolvimento sustentável do campo”, disse Haddad.

Os debatedores, Francisco de Assis e Raimunda Monteiro, citaram que neste contexto de ataques sem precedentes ao meio ambiente, há resistência na sociedade civil e denúncia no Brasil e no mundo contra retrocessos. Porém também destacaram a importância do diálogo com a população sobre a necessidade da sustentabilidade.

O líder da bancada do PT, Enio Verri (PR) destacou que a agenda ambiental está na pauta e nas lutas da bancada na Câmara, bem como da militância petista como um todo.

 

Volney Albano

Assessoria de Imprensa

Deputada Federal Professora Rosa Neide (PT-MT)

Tags:
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Vamos conversar?