Conecte-se Conosco

Em indicação, Rosa Neide cobra do governo federal recursos e ação do exército no combate às chamas no Pantanal

Publicado

em

Foto: José Medeiros

A deputada federal Professora Rosa Neide (PT) apresentou nesta segunda-feira (14), na Câmara, Indicação ao Poder Executivo para que adote medidas imediatas de mobilização de militares e consignação de dotações orçamentárias para apoiar o enfrentamento das queimadas no Pantanal. A indicação foi subscrita pelo deputado federal Nilto Tatto (PT-SP).

A parlamentar indica ainda que o governo federal institua um “Gabinete de Crise” interinstitucional, participativo e interfederativo, para o enfrentamento das queimadas nos biomas do País.

Na justificativa, a deputada afirma que o Brasil passa por um grave estado de alerta, calamidade e destruição em decorrência dos sucessivos incêndios e queimadas.

“A situação é dramática, especialmente vivenciada em Mato Grosso, por ocasião das maiores queimadas registradas no Estado nos últimos 10 anos. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Mato Grosso já registrou 25 mil focos de calor. É o maior número em dez anos. Três biomas, apenas considerado o Estado de Mato Grosso (Pantanal, Amazônia e Cerrado) estão ardendo em chamas e, lamentavelmente, a necessária ação, firme e coordenada, por parte das estruturas de governo (Federal e Estadual) e dos próprios poderes legislativos ainda, está muito aquém da enorme destruição em curso, que precisa ser enfrentada”, afirma.

A parlamentar afirma que o Conselho Nacional da Amazônia Legal, presidido pelo vice-presidente Hamilton Mourão e o “Ministério da Defesa têm grandes responsabilidades e precisam autorizar e reforçar, de forma coordenada e dialogada, a participação do exército no combate aos incêndios no bioma do Pantanal, com a urgência que o esforço para salvar vidas e toda uma biodiversidade requer”.

Clique aqui e confira a Indicação na íntegra.

Volney Albano

Assessoria de Imprensa

Deputada Federal Professora Rosa Neide (PT-MT)

Tags:
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Vamos conversar?