fbpx
Conecte-se Conosco

Fechamento da Eletronorte pode prejudicar a economia de Mato Grosso

Publicado

em

A deputada federal Professora Rosa Neide (PT) se reuniu na quinta-feira (14), com Tania Mota Lorenzi, Walter Jesus Miranda e Antonio Carlos Serra do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas (STIU). Em pauta, o desmonte promovido pelo governo federal na Eletronorte que pode levar ao fechamento da empresa no Estado.

De acordo com os sindicalistas, o governo atual já reduziu a estrutura da Eletronorte e demitiu vários trabalhadores por meio Planos de Demissão Voluntária (PDVs). Atualmente há apenas 156 trabalhadores na empresa, mas há plano de demissão de mais 46”, disse.

“As reduções de estrutura e pessoal foram tamanhas que a Eletronorte não possui mais uma Gerência em Mato Grosso e sim um Departamento. Agora corremos risco desse departamento fechar e todas as atividades serem transferidas para Brasília, prejudicando ainda mais os trabalhadores que já sofrem com os PDVs”, disse.

“O possível fechamento da empresa pode prejudicar a economia do Estado, principalmente o agronegócio. É a Eletronorte responsável pela geração e distribuição da energia que abastece o Estado. Se perdermos a empresa, a manutenção das linhas de trasmissão pode ficar comprometida, colocando em risco o agronegócio que precisa de energia segura para se desenvolver, bem como prejudicar toda população”, disseram.

A deputada se colocou à disposição do Sindicato na luta pela manutenção da Eletronorte em Mato Grosso. “Seria muito ruim politicamente e um grande prejuízo para a economia local perder a Eletronorte. Os tra”, afirmou Rosa Neide.

Eletrobrás

Em 2018, a Eletrobrás, holding que abriga a Eletronorte obteve lucro de R$ 13 bilhões e em 2019, lucro de R$ 10 bilhões. A empresa é superavitária, mas está na lista das estatais que Bolsonaro pretende privatizar.

Volney Albano

Assessoria de Imprensa

Deputada Federal Professora Rosa Neide (PT-MT)

Tags:
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Vamos conversar?