Conecte-se Conosco

Professora Rosa Neide cobra políticas públicas para as Mulheres de MT

Publicado

em

Foto: Carlos Maranhão

A deputada federal Professora Rosa Neide (PT) participou nessa segunda-feira (11) da Audiência Pública que discutiu o papel da Mulher na sociedade mato-grossense. O evento foi requerido pelos deputados estaduais Valdir Barranco (PT) e Janaína Riva (MDB) e marcou a semana da Mulher do Legislativo Estadual.

Em discurso, Rosa Neide cobrou do governo de Mato Grosso a implementação urgente de políticas públicas que garantam o acolhimento e a proteção das mulheres vítimas de violência. “Nosso Estado é um dos líderes no absurdo ranking de estupros e violência doméstica. Mas falta atendimento adequado por parte do Estado”, denunciou.

A fala da deputada foi corroborada pela delegada da Delegacia da Mulher de Cuiabá, Jozirlethe Magalhães Criveletto, que informou que o Estado possui apenas três delegacias das Mulheres. A Promotora de Justiça, Lindinalva Rodrigues destacou que Cuiabá é a única capital do País que não possui Casa Abrigo para atendimento das mulheres vítimas de violência.

A Promotora citou que Mato Grosso está entre os Estados líderes no ranking do feminicídio. Ela informou que 70% dos feminicídios são cometidos por homens que não aceitam o fim do relacionamento. “Esse sentimento de posse que o homem possui sobre o corpo da mulher leva a essas situações alarmantes de violência doméstica que culmina com o assassinato das companheiras. É preciso mudar essa cultura. É preciso incluir nos currículos escolares as discussões de igualdade de gênero”, afirmou.

Professora Rosa Neide destacou que destinará emendas parlamentares para construção de delegacias da mulher. “Apesar de não concordar, pois as Políticas para Mulheres deveria ser prioridade no Orçamento Estadual, mas como não é procurarei ajudar”, afirmou.

A petista também cobrou que a Assembleia Legislativa retome as discussões do Plano Estadual de Educação (PEE), e retornem ao texto do PEE a inclusão do debate de gênero nas Escolas Públicas. “Essa Casa desfigurou o Plano que foi construído pela Educação Estadual retirando o debate de gênero. É preciso retomar, para que a comunidade escolar e os professores voltem a debater sobre a igualdade entre homens e mulheres e a importância do respeito”, cobrou.

A audiência ainda contou com a participação da juíza, Amini Haddad, pesquisadora do núcleo científico Vulnerabilidades, Direito e Gênero da UFMT; da juíza Jaqueline Cherulli do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT); da Defensora Pública, Rosana Leite de Barros, representante do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher; da vice-presidenta do PT-MT, Enelinda Scala; do deputado estadual Wilson Santos (PSDB) e de dezenas de mulheres representantes de entidades e movimentos sociais.

Assessoria de Imprensa

Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Vamos conversar?