fbpx
Conecte-se Conosco

Rosa Neide pede que TCU investigue atuação do MEC e INEP na elaboração do ENEM 2021

Publicado

em

Foto: Lula Marques

A deputada federal Professora Rosa Neide (PT) protocolou nesta terça-feira (16), no Tribunal de Contas da União, representação para que a Corte adote medidas para avaliar a atuação do Ministério da Educação (MEC) e do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), referente às denúncias de interferência externa e quebra de sigilo da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2021.

Na representação também assinada pelo deputado federal Danilo Cabral (PSB-PE), os parlamentares apresentam um histórico de fatos que comprovam a interferência do governo Bolsonaro no ENEM. Eles enfatizam o pedido recente de demissão de servidos do INEP, dos quais 29 eram responsáveis pela elaboração do exame.

No domingo (14), parte desses servidores detalharam, em entrevista a imprensa, a interferência do governo na confecção do ENEM, com acesso prévio à prova por pessoas que não são do INEP e censura a questões do exame.

A representação informa que “Anderson Oliveira, que ocupa o cargo de diretor de avaliação da Educação Básica e tem a função de fazer a leitura dos itens, segundo os servidores, solicitou a retirada de cerca de 20 questões”.

“São fatos e afirmações que demonstram a toda evidência que, sob o pretexto de promover uma revisão técnica de itens, cujo objetivo deveria ser a verificação da sua pertinência com a realidade social, de modo a assegurar um perfil consensual do Exame, criou-se um verdadeiro aparato estatal para fazer “controle ideológico” do exame”, denuncia os deputados.

Nesse sentido, eles pedem ao TCU a apuração das irregularidades denunciadas pelos servidores do INEP. A deputada e o deputado apontam dois itens passíveis de investigação por parte da Corte de Contas:

“1. no processo de revisão das questões do Enem, efetivado sem o devido respaldo técnico e pedagógico, a evidenciar a utilização do aparato estatal para fins de controle ideológico do exame, em afronta aos princípios da moralidade e da impessoalidade; e

2. na segurança do exame do Enem, tanto no que diz respeito à violação do sigilo das provas, pela ampliação imotivada de acesso ao conteúdo por pessoas estranhas à entidade, como pelo eventual desmonte da rede logística, pelo risco de afronta aos princípios da igualdade e da eficiência que devem reger o processo de seleção de estudantes no acesso ao ensino superior”.

Reunião

Nesta terça-feira (16), a deputada Rosa Neide participou de reunião online com a ministra do TCU, Ana Arrais, na qual reforçou pedido para que a Corte de Contas apure as denúncias.

Clique aqui e confira a representação na íntegra.

Volney Albano

Assessoria de Imprensa

Deputada Federal Professora Rosa Neide (PT-MT)

Tags:
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Vamos conversar?