fbpx
Conecte-se Conosco

Rosa Neide pede união na luta pela igualdade entre homens e mulheres e defende maior representação feminina no Parlamento

Publicado

em

A deputada Professora Rosa Neide (PT-MT) em discurso nesta quinta-feira (16), último dia de sessão antes do recesso legislativo, destacou no plenário virtual da Câmara a importância da representação feminina no Parlamento brasileiro. “Ano que vem, teremos um ano eleitoral. E, nesse ano eleitoral, ano em que as mulheres completarão 90 anos de direito a voto no Brasil, teremos a condição de fazer com que a representação das mulheres dê um passo significativo no Brasil”, afirmou.

De acordo com dados apresentados pela deputada, pela Câmara dos Deputados já se passaram 7.333 homens deputados e passaram apenas 266 mulheres deputadas. Nas eleições de 2020, 948 municípios brasileiros não tem mulheres em suas Câmaras Municipais. Em 1.800 municípios há apenas uma mulher nas Câmaras Municipais. O Brasil, possui três estados da Federação sem nenhuma deputada federal.

Em todos os Parlamentos da América Latina, há muito mais mulheres presentes do que no Brasil. Segundo Rosa Neide, o Brasil é o 32º país em um universo de 33 países. O País só não perde para a Belize.

“Nós somos 52% da população. Nós somos 51% dos eleitores. Então, será que precisamos recuar mais do que já estamos recuando na situação que ora vivemos? Muitas vezes alguns homens falam: ‘As mulheres se desenvolveram muito, para que cotas?’ Precisamos de cotas para fazer justiça histórica às mulheres. Ora, só há 90 anos conquistamos os direitos legais de votar. Então, como, agora, em um momento como este no País, podemos recuar em alguma coisa?”, questionou Rosa Neide.

Violência contra as mulheres

Rosa Neide também falou sobre os inúmeros casos de violência contra as mulheres no Brasil. “As mulheres, quanto mais erguem a cabeça, mais levam pauladas no meio da testa. Eu já ouvi muitas vezes: ‘Se vocês ficarem mais caladas, vocês apanharão menos’, mas não vamos nos calar”, afirmou. Já no parlamento, as deputadas têm passado por casos de agressões verbais. A parlamentar recordou da fala do deputado Bibo Nunes (PLS-RS) que chamou as deputadas de “deputéricas” durante sessão na Casa. “São essas palavras que nos dão força, que nos mostram que a caminhada está para ser feita e que nós não vamos ficar com a cabeça baixa com medo de apanhar. Nós vamos erguer a cabeça”, assegurou Rosa Neide.

“Outro dia eu fui relatora no Conselho de Ética para ouvir palavrões de testemunhas e de situações. Nada contra quem quiser falar palavrão à vontade, mas os palavrões eram dirigidos às mulheres, para diminuir a sua condição histórica de mulher. Não vai diminuir. Nós somos o que somos, e vocês sabem quem somos”, disse.

Homens juntos na luta

A deputada Rosa Neide também se dirigiu aos deputados da Casa pedindo que se unam a luta pela igualdade entre homens e mulheres na sociedade. “Todos os dados, todas as pesquisas mostram que onde há mulheres e homens trabalhando juntos há avanços sociais significativos, há projetos a favor da população. Não podemos ter um País — que já recuou tanto nesses últimos anos — diferente disso. As mulheres nas secretarias, as mulheres nos cargos de comando no Brasil. Estamos vendo uma recaída, mas, na hora do voto, a população há de ter mulheres, porque as mulheres querem participar da política, as mulheres gostam de política, as mulheres devem estar onde desejam estar”, afirmou a deputada mato-grossense.

E pediu que após o recesso todos estejam juntos na luta por um país melhor e mais justo para todos. “Portanto, a partir de agosto, eu conclamo esta Casa, aos homens que têm dignidade: as mulheres precisam de representação forte, precisam das cotas, precisam não recuar. Precisamos dar exemplo a mais de 52% da população e aos outros 48%, que são nossos filhos, que são os homens que parimos. Que juntos e juntas possamos fazer uma sociedade melhor e diferente”.

PT na Câmara

Tags:
Clique para comentar

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Vamos conversar?